sábado, 8 de julho de 2017

Fruto Proibido



Nós éramos intensos, mas não nos pertencíamos.
Fizemos o que podíamos para nos manter juntos, brigamos contra o destino e driblamos as contradições que surgiram.

Mas não podemos ir contra o universo se não estamos destinados a ficarmos juntos.

Seu toque foi tão quente que aqueceu meu coração. 

Foi verão no Alasca quando descobri que estava te amando.

Segurar a sua mão é como voar para o além, te beijar é ir de encontro ao paraíso.
Me enrola em teu abraço para me aquecer porque sem você meu corpo tornou-se inverno.
Minha vida está um tédio. Quero sentir o perigo de um amor proibido, te ter intensamente, mesmo que por alguns segundos.
Meu coração ainda é teu, te mantenho em meus pensamentos para que você não desapareça.
Não vamos brincar de esconde-esconde, te desafio a ficar comigo.
Estaremos contra o mundo, mas você tornou-se o meu mundo.
Meus olhos brilham ao te ver e eu não consigo pensar em mais nada além de te ter.
Você é o meu fruto proibido, mas sem você me sinto perdido.
Preciso te ter, me aconchegar em você e sentir ás batidas do seu coração.
Você é minha paixão.

 

sexta-feira, 24 de março de 2017

Retrocesso

Esbarrei nos meus sonhos e tropecei no amor. O caminho para a verdadeira felicidade parece ser cheio de pedras que eu ingenuamente as vezes pareço não conseguir enxergar.
São tantos os tombos que acabo me perguntando: até quando vou conseguir me levantar? Até quando vou fingir que a ferida foi fechada quando ainda me sinto tão exposta e vulnerável a isso tudo? Será que é preciso sofrer para sentir que se está vivendo? Ou será que simplesmente é preciso viver para que se sofra tanto?
Sinto que o mundo não parou enquanto eu permaneci parada imóvel tentando engolir os acontecimentos e aceitar as mudanças que a vida me impos. Me arrancou coisas e pessoas nas quais nunca imaginei que um dia tivesse que perder, me colocou contra a parede diversas vezes e me disse "vê se supera tudo isso". E parece que o fato de não ter sido superado é porque eu não amadureci o tanto que deveria enquanto mudei. Ao invés de mudar para melhor, eu regredi, acabei me prendendo a sentimentos de dor e de amores irreais tornando tudo isso um falso conto de fadas que eu mesma criei.
Adqueri uma terrível doença chamada "não sei viver sem ele" que parece ser incurável, mas que volta e meia consigo controlar e pensar que está tudo bem, mas não, não está!  Está uma enorme bagunça dentro de mim.